Escolha uma Página
A versatilidade do Sketchup

A versatilidade do Sketchup

Fácil, prático e completo.


Que o Sketchup é uma plataforma de fácil utilização em ambiente 3D isso todo mundo sabe, mas você sabia que além de renderizar e modelar, nele você pode criar um projeto inteiro do zero e inclusive montar uma apresentação?
Criado originalmente para criação de projetos em 3D de arquitetura e engenharia civil, o software ganhou popularidade  pela facilidade do seu uso.

A possibilidade de criar Folhas de projeto completas, maior capacidade de troca de arquivos com o AutoCAD e o Adobe Illustrator são só alguns dos atributos que tornam o Sketchup uma ferramenta única e tão popular. Além disso existem vários softwares que complementam a solução do CAD SketchUp, como ferramentas que simulam a visualização do projeto como se fossem fotos,  usando renderizadores de última geração. É o caso de softwares como o Vray, Artlantis ou Lumion.

Milhares de pessoas utilizam o SketchUp pela facilidade de uso e por ser um software utilizado para conceber uma ideia, como uma ferramenta de venda ou para iniciar e finalizar seus projetos. Ou seja, aprender a usar este software CAD é uma ótima oportunidade para você ter rapidez ao criar e mostrar suas ideias de forma bastante convincente, principalmente na área de engenharia e arquitetura.

Sem a necessidade de conhecimento prévio em outros programas (Claro que dominar outras plataformas e ferramentas pode facilitar o processo criativo), o projeto final depende apenas da capacidade do usuário, quanto mais tempo de dedicação ao projeto, melhor o resultado.

 

Sete coisas que arquitetos e urbanistas precisam saber sobre a tecnologia BIM

Sete coisas que arquitetos e urbanistas precisam saber sobre a tecnologia BIM

Metodologia inovadora aumenta eficiência, reduz custos e valoriza trabalho dos arquitetos e urbanistas

Arquitetura e Urbanismo é um dos mercados que mais evolui de acordo com os novos desenvolvimentos tecnológicos. É assim com o maquinário pesado usado na construção, com os materiais de obra e também com as ferramentas de projeto. Hoje essa evolução está relacionada à tecnologia BIM. Essa é a sigla para Building Information Modeling, ou Modelagem da Informação da Construção. Trata-se de um método de trabalho que reúne, por meio de ferramentas digitais, todas as informações que dizem respeito à construção de um edifício.
A lista abaixo traz informações importantes para arquitetos e urbanistas que pretendem trabalhar com a plataforma, como aumento da eficiência, valorização da profissão e exigências dos contratantes – tiradas de uma palestra ministrada pelo arquiteto e urbanista Luiz Augusto Contier, conselheiro suplente do CAU/BR e um dos pioneiros no uso da tecnologia no Brasil (veja aqui). Para quem quer adquirir os principais softwares do mercado a preços mais acessíveis, há descontos para adquirir os melhores softwares do mercado em condições especiais. Confira!
01. BIM não é um software, é uma nova metodologia
Pode-se dizer que, com o BIM, o arquiteto e urbanista deixa de fazer desenhos ou representações da obra e passa a construir virtualmente a obra. “No AutoCAD, eu desenho virtualmente, as ferramentas são praticamente as mesmas da prancheta da desenho. No BIM, não. Em vez de desenhar, eu construo virtualmente”, afirma Contier. Nos programas que trabalham com o BIM, cada objeto tem uma série de propriedades. Uma porta, por exemplo, não é apenas um desenho retangular, o programa já diz se essa porta é de madeira, se tem ferragens, dobradura, maçaneta, etc. É como se o arquiteto trabalhasse diretamente na maquete ao invés de desenho.
02. O BIM aumenta a eficiência dos escritórios de Arquitetura e Urbanismo
A Plataforma BIM pressupõe um ganho de eficiência dos escritórios e uma assertividade maior dos nossos documentos. Principalmente por evitar erros e retrabalho na hora de compatibilizar os projetos. No modo tradicional, um profissional trabalha na planta enquanto outro faz o corte, são documento soltos, muito mais suscetíveis ao erro. Com o BIM, ao retirar uma privada de um determinado pavimento do edfício, ela some da planta, do corte e do quantitativo, automaticamente. Todos os profissionais trabalham usando as mesmas informações, em tempo real. O BIM aumenta a assertividade, reduz o retrabalho e permite entregar mais coisas, melhorando a performance do escritórios.
03. O BIM valoriza o trabalho de arquitetos e urbanistas
Muitos arquitetos e urbanistas reclamam da concorrência desleal – e ilegal – praticada por leigos que aprenderam a desenhar plantas em programas de desenho arquitetônico – os chamados “cadistas”. Com o BIM, o trabalho dos arquitetos e urbanistas se valoriza, pois é preciso saber mais do que desenhar para montar um projeto: é preciso entender de Arquitetura. “O BIM aumentou a idade média dos arquitetos que tenho no escritório”, afirma Contier. “Agora preciso menos das pessoas que conhecem os programas e mais das pessoas que possuem experiência em Arquitetura”.  Segundo ele, os software de BIM possuem poucos comandos de objetos, o resto é Arquitetura: definir critério, parâmetros, propriedades. “Eu contrato no meu escritório gente que não sabe BIM, porque isso ensino rapidinho, mas Arquitetura tem que saber antes”.
04. O BIM traz economia às obras
Com o BIM, o arquiteto possui muito mais segurança para realizar orçamentos de obras, já que cada produto usado no projeto já vem com as especificações de fábrica – incluindo o preço. Além disso, reduz muito o desperdício. Segundo dados de uma grande construtora brasileira, 88% dos documentos de um projeto sofrem alteração, sendo que 45% do total de documentos sofrem revisão após o projeto executivo. O desperdício com instalações chega a 25%, sendo que 10% decorre da falta de integração entre orçamento, compras e suprimentos. Erros que poderiam facilmente ser evitados com o uso do BIM.
05. Utilidade do BIM vai para além da Arquitetura
O processo BIM se inicia dentro de um escritório de Arquitetura, passa por todo o ciclo de vida da obra e da construção e vai acabar na sua demolição. Apesar de começar com o trabalho de arquitetos e urbanistas, o modelo BIM recebe contribuições de todas as outras áreas, sendo usado no projeto, na execução e no gerenciamento do edifício. O Governo Brasileiro está estudando como usar o BIM para catalogar todos os edifícios que compõem o patrimônio da União, incluindo informações sobre sua localização, o gerenciamento deles, se estão ocupados ou não, qual o custo de manutenção, etc.
06. A concorrência do futuro será em BIM
Com tantas vantagens, muitos contratantes, inclusive governos, já começam a exigir que os projetos sejam produzidos na Plataforma BIM. No Reino Unido, determinou-se em 2011 que o BIM seria obrigatório para projetos de obras públicas com investimento a partir de 5 milhões de libras. No Brasil, no mesmo ano aconteceu a a primeira licitação pública que exigiu BIM nos projetos, para a sede da Petrobras em Santos. A Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE), do Estado de São Paulo, e o Governo de Santa Catarina já visaram que devem só contratar projetos públicos em BIM nos próximos anos. “Hoje, nós temos diversas empresas estrangeiras de projetos, legalmente estabelecidas no Brasil, que já trabalham com a plataforma, e nós não podemos perder mercado para essas empresas”, afirmou Contier.
07. CAU/BR e IAB oferecem descontos para aquisição de softwares
CAU/BR e a Graphisoft assinaram acordo de parceria que concede descontos especiais para aquisição da tecnologia BIM para pequenos escritórios. Arquitetos e urbanistas registrados no CAU têm desconto de 35% na assinatura anual do programa ArchiCAD 20 Solo. Para profissionais com menos de cinco anos de formado, o desconto é ainda maior: 40%. E mais: junto com a assinatura, os profissionais ainda ganham um curso sobre utilização do BIM, com 70 aulas em vídeo e certificação oficial do fabricante. Veja aqui. Para quem prefere o Revit, o IAB oferece desconto de 20% para seus associados na compra do produto. Leia aqui.
Fonte: CAU-BR

Leia Mais

Nenhum resultado encontrado

A página que você solicitou não foi encontrada. Tente refinar sua pesquisa, ou use a navegação acima para localizar a postagem.

Monitoria Pós-Treinamento

Monitoria Pós-Treinamento

Monitoria Pós-Treinamento Multi Núcleo.
Tradicionalmente nas empresas, é comum o foco está na pré-venda, em trazer novos clientes, e após a entrega do produto ou efetuado o serviço, na grande maioria das vezes o cliente é esquecido.
Aqui Na Multi Núcleo é diferente!
Além de queremos novos clientes é claro, nossa preocupação está no pós-treinamento, que é onde o aluno vai aplicar o que aprendeu em aula em um projeto acadêmico ou profissional.
É comum, as pessoas fazerem treinamentos, mas quando vão utilizar o software no dia a dia, tem dificuldades e às vezes deixam de utilizar o software que acabou de aprender para voltar a um outro mas ultrapassado ou outras técnicas mas trabalhosas, desperdiçando assim um investimento de tempo e dinheiro.
Para evitarmos isso ao máximo, nossos treinamentos são práticos e ao final de cada curso, você sai com um projeto concluído do início ao fim, podendo aplicar a ferramenta instantaneamente. Mas se mesmo assim, quando você estiver fazendo aquele projeto importante e algo não está dando certo ou você não lembra como faz, não precisa se desesperar. Entre em contato conosco, agende uma monitoria, traga seu projeto que ajudaremos você!
Temos monitores aqui na Multi Núcleo todos os dias, treinados para atende-los.
Basta entrar em contato através de 27 3020-2377; 27 99979 – 6968 (WhatsApp) ou multinucleo@multinucleo.com.br. Quando você entrar em contato, verificaremos a disponibilidade de um monitor capacitado para o software que você deseja monitoria e assim agendar um horário.

Leia Mais

Nenhum resultado encontrado

A página que você solicitou não foi encontrada. Tente refinar sua pesquisa, ou use a navegação acima para localizar a postagem.

Multi Núcleo Contrata

Multi Núcleo Contrata

Multi Núcleo é um Centro de Treinamento Capixaba que vem crescendo dia após dia.
Hoje, somos o único Centro de Treinamento Autorizado da Autodesk (ATC) do estado.  Os certificados dos treinamentos dos softwares da AUTODESK são registrados e reconhecidos, nacional e internacionalmente.
Como conquistamos isso?
Focando no aprendizado dos nossos alunos! Nossa preocupação, é que nosso aluno conclua o treinamento capacitado, com conhecimento necessário para utilização do software.  Além disso, nosso aluno conta com monitoria pós-treinamento, para caso tenha dificuldade na execução de seus projetos; disponibilizamos monitores para auxiliar qualquer ex-aluno que solicite a monitoria.

Para acompanhar este crescimento, ampliaremos nosso quadro de professores.
[php snippet=30]

Leia Mais

Nenhum resultado encontrado

A página que você solicitou não foi encontrada. Tente refinar sua pesquisa, ou use a navegação acima para localizar a postagem.

Seu cliente quer um projeto real?

Seu cliente quer um projeto real?

Use a Realidade Virtual em seus projetos.

Imagine saltar da sua sala de reuniões no centro da cidade para uma casa de praia que ainda nem foi construída e com apenas um movimento retornar e retomar sua apresentação. Essa experiência está se tornando cada vez mais possível graças às tecnologias de imersão que nesse exato momento estão sendo desenvolvidas e aperfeiçoadas para as mais diversas aplicações. É claro que cada uma delas tem suas peculiaridades e aplicações específicas e de maneira geral, ainda se confunde muito o que é realidade aumentada (AR) e o que é realidade virtual (VR).

Realidade Virtual caracteriza-se por proporcionar através de simulações, interação em um ambiente sintético com computador, reproduzindo um “mundo fictício” que faz o usuário da tecnologia ter a impressão de vivência.
Realidade Aumentada potencializa a percepção sobre o mundo real, sobrepondo imagens reais com fictícias, criando assim a impressão de que objetos virtuais estão interagindo com a realidade em tempo real.
 
Ambas são parte de uma realidade mais ampla e contínua conhecida como “Realidade Mista” (MR), que combina AR e VR para gerar uma experiência que mais imersiva, ancorando objetos virtuais em um ponto no espaço real.
O uso dessa tecnologia é possível em diversas áreas. No campo da Arquitetura e engenharia por exemplo pode-se usá-la em quase todas as etapas de um projeto, facilitando muito o trabalho do profissional, possibilitando a visualização e localização no espaço do ambiente que vai ser trabalhado. No design de interiores, basta ter os móveis modelados em 3D e uma fotografia com um marcador no ambiente.

O planejamento pode ser feito na presença do cliente se for necessário. Usando Apenas com um smartphone e o aplicativo certo é possível levar seus clientes para dentro do seu projeto tornando a apresentação muito mais dinâmica. Você e seu cliente poderão compartilhar e compreender igualmente as qualidades espaciais de um projeto e isso fará total diferença na hora de fechar um negócio e acaba gerando menos ou quase nenhuma chance de ter que refazer um trabalho, garantindo satisfação total do cliente.

Essas tecnologias têm ficado cada vez mais viáveis e se tornado tendência para os anos que se seguem. Suas aplicações profissionais serão indispensáveis em um futuro muito próximo. O que se entende por arquitetura e construção hoje será completamente afetado por elas, tendo em vista sua capacidade de imersão em um ambiente que ainda será construído.

Leia Mais

Nenhum resultado encontrado

A página que você solicitou não foi encontrada. Tente refinar sua pesquisa, ou use a navegação acima para localizar a postagem.